GUERRA A CONTRA A DEMOCRACIA
Reino Unido, 2008, 94 min. Legendas em Português.
Direção: John Pilger

Imperdível!!!


"The War on Democracy" é um filme sensível, humano, inteligente e essencial. O premiado jornalista John Pilger mostra a cruel realidade planejada pelos EUA para quase todos os países latino-americanos. Golpes, assassinatos, grupos de extermínio, torturas, genocídios - financiados e treinados pela CIA, acompanhados por uma cobertura quase sempre desonesta da mídia local - transformaram esses países no que eles são hoje: Desigualdade, miséria, desinformação e fornecedor de produtos primários.

Certos documentos apresentados pelo filme revelam a realidade que a mídia esconde até os dias de hoje. Mas o documentário não é só amargura e mostra numa mensagem de otimismo de que o povo pode sair às ruas e conseguir o que lhe é de direito. Isso é bem ilustrado em dois ótimos exemplos na América do Sul: Venezuela e Bolívia, que – ao contrário do que diz quase todos os nossos meios televisivos e impressos - se transformaram em símbolos da luta popular pela democracia. Esse documentário é essencial para quem quer saber da recente história latino-americana e para se situar no tempo atual.

Filme também não chegou às salas de cinema portuguesas.

"Este é um filme sobre a luta de um povo para se libertar de uma moderna forma de escravatura." É assim que o jornalista australiano John Pilger descreve, numa só frase, a história que apresenta em The War on Democracy (em português, Guerra à Democracia). O documentário que se estreou no Reino Unido em Junho de 2007 fez parte da selecção oficial de Cannes. Mas, até hoje, a história não passou pelas salas de cinema portuguesas.


A 20 de Janeiro de 2005, o Presidente norte-americano, George Bush, falava no início do seu segundo mandato: "A América não irá impor o seu estilo de governação a quem não o desejar. O nosso objectivo é, em vez disso, ajudar outros a encontrar a sua própria voz, a alcançar a sua própria liberdade, a descobrir o seu próprio caminho." Bush usou as palavras "liberdade" e "democracia" 21 vezes no seu discurso inaugural.


Para John Pilger, foi esse o mote para mais uma investigação jornalística, que resultou no seu primeiro trabalho para cinema, depois de mais de 55 documentários realizados para televisão.

"Queria fazer um filme que desmascarasse essa verdade disfarçada", afirmou o jornalista australiano numa entrevista. Filmado na Venezuela, Bolívia, Chile e Estados Unidos (e olhando também para a Guatemala e para a Nicarágua), The War on Democracy visita as "traseiras da América" (termo usado pelo secretário de Estado norte-americano, do tempo de Richard Nixon, Henry Kissinger para descrever a América Latina). E explica porque é que, "desde 1945, os Estados Unidos tentaram derrubar 50 governos".


O documentário "examina a falsa democracia que chega com as corporações ocidentais e as instituições financeiras, e a guerra travada, materialmente e através de propaganda, contra a democracia popular", escreveu Pilger no jornal britânico The Guardian.


Mas, "acima de tudo, conta uma história muito positiva: a da ascensão de movimentos sociais populares, que trouxeram ao poder governos que prometem fazer frente ao poder imperial e a quem controla a riqueza nacional". "A Venezuela tomou a dianteira", afirma Pilger, que no filme incluiu uma entrevista exclusiva com Hugo Chávez. "Chegou a hora do grande despertar, o império americano chegou ao fim, e deve impor-se no mundo o império da lei, o império da igualdade, da justiça e da fraternidade", diz o presidente venezuelano ao jornalista.


Algumas críticas referem-se ao documentário The War on Democracy como "tendencioso", afirmando que apresenta "somente um dos lados da história". O dramaturgo britânico Harold Pinter tem outra opinião. "Jonh Pilger desenterra, com uma atenção de aço aos factos, a verdade imunda, e conta-a tal qual ela é", afirma o escritor laureado com o Prêmio Nobel. Isto porque, como o próprio Jonh Pilger considera, "o jornalista é o guardião da memória pública".

A Guerra Contra a Democracia - Contribuição vinda do Canadá

Neste documentário John Pilger mostra a perseguição histórica dos Estados Unidos, não pela democracia, mas CONTRA ela. Os EUA, ao contrário de levar a democracia ao mundo (como sempre propagam…), na verdade tem feito de tudo para que isso não aconteça. Viajando para vários países (Guatemala, Nicarágua, El Salvador, Chile, Bolívia, Venezuela), John Pilger mostra as repetidas vezes na história do continente onde os EUA usou as armas para suplantar governos democraticamente eleitos.



O documentário tem um nível de detalhamento e atualidade profundo, indo fundo em cada caso. Contendo entrevistas com o presidente Hugo Chávez, com pessoas comuns nos “barrios” de Caracas organizadas nas “misiones” que lêem sua constituição; com pessoas torturadas pela ditadura chilena (e também pessoas que defendem Pinochet!); com uma sobrevivente dos “esquadrões da morte” em El Salvador; e até com um ex-agente da CIA, que revela como eles propagam sua guerra particular na América Latina… O filme faz revelações surpreendentes e inquestionáveis, da tragédia e violência imputada pelos EUA e seus aliados locais ás pessoas da América Latina.


John Pilger, é um reconhecido jornalista e escritor australiano, que se dedica á contra-informação e á denúncia das falsidades da democracia capitalista, e das atrocidades cometidas em seu nome. Produziu vários documentários, sendo este um dos melhores dele.


Contribuição: Telma Alencar, leitora do Blog, diretamente de Ottawa, Canadá, a quem agradecemos pelo envio do material (em espanhol).


Serviço:

Quando: Dia 03 de setembro/2010 - Todo primeiro sábado do mês.


Onde: CINECLUBELATINOAMÉRICA

Local: Centro Cineclubista de São Paulo

Rua: Augusta, 1.239 - Conjunto 13 e 14 - (Metrô Consolação)

Tel. 11 - 3214.3906 - http://www.centrocineclubista.blogspot.com/


2 comentários:

videos lunetim