Nesse último sábado de outubro, o Cineclube Lunetim Mágico, grande fomentador e divulgador do vídeo independente e popular, exibiu, no Espaço do CECISP – Centro Cineclubista de São Paulo, mais uma vez uma gama de vídeos com temas diversificados e abordagens estéticas que passam por filmes produzidos com conteúdo para web TV até um filme feito em película, sem deixar as características criticas.
O Lunetim Mágico é um cineclube com forma e conteúdo bastante amplo. A exibição dos vídeos são um mote para um grande encontro de pessoas que produzem seus materiais e vão contando, cada um a seu jeito, suas histórias.
De todas as maneiras as manifestações, dentro do espaço cultural que se forma, têm uma proposta envolvente num sentido de ampliar a discussão do que está sendo feito hoje - não só em termos do audiovisual, que se utiliza, muito bem, dessas nova mídias, para contar sua história - mas também de outras formas de manifestação, como a música. Nesse caso fomos contemplados com um show muito interessante, eficaz e agregador, que foi a galera do Engrenagem Urbana com suas batidas grooves recheada de musicalidade negra.
A noite do último sábado de outubro foi dançante e contemplativa.
Agradecimentos à tod@s pela colaboração e participação.





































Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 0 )


CINECLUBE MOVIMENTO EXIBE CLÁSSICO DE JOHN HUGHES
O cineclube faz uma viagem à década de 80 e traz às telonas o Clube dos Cinco

O Cineclube Movimento na sua terceira exibição coloca em cartaz o clássico de John Hughes, O clube dos cinco (1985), filme que marcou uma geração e agora chega às telas do cineclube para que todos possam prestigiar essa obra do diretor que fez grandes filmes como, Curtindo a vida adoidado, Gatinhas e gatões e Garota Rosa Shocking.

Com muita perspicácia e um estilo peculiar de contar histórias através de imagens, John Hughes foi responsável por vários filmes que marcaram não só uma geração, como também foram o retrato de costumes, estilos, figurinos e aspectos de uma época que ainda hoje é lembrada com nostalgia por muitos.

Aos que conhecem, venha rever e ser transportados para uma época cheia de descobertas, conflitos, cultura pop, e muitos outras coisas mais. Aos que nunca viram, venham prestigiar e conhecer mais do trabalho deste diretor que representou como nenhum outro a “juventude transviada” da década de 80.

Local:
CECISP 
Rua. Augusta, 1239, conjunto 13/14.

Horário: 19:30hs

Dia: 05/11/2010 (sexta-feira)






Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 0 )

A convite do Goethe-Institut São Paulo e com apoio do Centro Cultural São Paulo (CCSP), o quadrinista alemão Hans-Georg Barber, mais conhecido como ATAK, participa de palestra sobre a história da arte das HQS na Alemanha
 
O Goethe-Institut São Paulo, em uma parceria com o Centro Cultural São Paulo, organiza no próximo dia 25 de outubro (segunda-feira), às 19h, a palestra gratuita: “Histórias em quadrinhos: uma viagem ao mundo das HQs na Alemanha”. Aberto ao público, o evento contará com a presença do quadrinista alemão Hans-Georg Barber (ATAK), que apresentará seu trabalho, e fará uma análise da história dos quadrinhos no país, as vanguardas e as novas possibilidades estéticas.
 
ATAK é um dos expoentes da elevação dos quadrinhos de vanguarda ao status de arte contemporânea. Durante sua juventude na RDA (ex-Alemanha Oriental), teve a oportunidade de presenciar o florescimento de diferentes vertentes artísticas. Punk nos anos 80, adotou o pseudônimo de ATAK como representação da desestruturação das estéticas dominantes e da oposição à massificação da arte. Paradoxalmente, sua arma de guerrilha é justamente um produto de massa por excelência: os quadrinhos.
 
Desta possível negação, nascem suas principais referências estéticas, como a arte pop, a cultura de massa e as coleções antigas de quadrinhos, criando um universo único e rico, em forma de colagens, desmontagens, e citações.
 
Após a queda do Muro de Berlim, em 1989, Barber fundou o grupo e a revista de HQs Renate, que agregou rapidamente um círculo de artistas autodidatas, dispostos a experimentar novas formas, compostas de quadrinhos e texto. Atualmente, Barber vive e trabalha como artista, ilustrador e gráfico em Berlim e Estocolmo , e leciona na Universidade Burg Giebichenstein de Arte e Design de Halle, Alemanha.
 
SERVIÇO
 
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: UMA VIAGEM AO MUNDO DAS HQ´S NA ALEMANHA. Palestra com o quadrinista Hans-Georg Hans (ATAK).
 
Goethe-Institut São Paulo/ Centro Cultural São Paulo.
 
25 de outubro de 2010 (segunda-feira), 19h. Entrada Gratuita. Biblioteca.
Inscrições antecipadas por e-mail: biblioteca@saopaulo.goethe.org ou  3296-7001/3296-7051.
 
Rua Lisboa, 974 – São Paulo – SP.
Tel.: +55 (11) 3296-7000
Fax: +55 (11) 3060-8413
info@saopaulo.goethe.org
www.goethe.de/saopaulo
 
 
Goethe-Institut São Paulo
 
Instituto Cultural da República Federal da Alemanha, o Goethe-Institut está presente em 91 países com a missão de promover o conhecimento da língua alemã no exterior e fomentar o intercâmbio cultural internacional. Em São Paulo , o Goethe-Institut organiza e apoia um amplo espectro de eventos culturais que apresentam a cultura alemã e promovem o diálogo intercultural. O Goethe-Institut São Paulo é aberto ao público e está situado na Rua Lisboa, 974, em Pinheiros. Mais informações pelo telefone 3296-7000 ou no site www.goethe.de/saopaulo
 


Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 0 )

UM HOMEM ENTRE DOIS MUNDOSDireção: Thorold Dickinson - Inglaterra - 1946

Sábado, 16 de outubro de 2010 - 19h00

Local: 
Cecisp- Associação Centro Cineclubista de São Paulo

Rua Augusta, 1239, conj. 13 e 14 - Metrô Consolação

Informações: (11)3214-3906
 
Entrada gratuita
 
Sinopse: Depois de quinze anos vivendo na Europa, onde fez notável carreira como pianista e compositor, Kisenga retorna em missão diplomática a sua terra natal na África, para ajudar autoridades locais na campanha de controle a um surto de doença. Porém, sua credibilidade e os costumes de seu povo entram em choque.
 
Título Original: Men Of Two Worlds, 1946
Genero: Drama 
Direção: Thorold Dickinson
Origem: Inglaterra/Tanganica
Duração e cor: 109 min - colorido
Idioma: Inglês
Legendas: Português

AGENDE-SE:  O Cine Afro Sembene, homenagem a Ousmane Sembene, considerado "O Pai do Cinema Africano", acontece mensalmente no CECISP, todo terceiro sábado do mês, com filmes sobre tematica africana, seguido de conversa com um comentarista convidado para troca de impressões e de um chá de confraternização entre os presentes.
 


Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 0 )



Um homem de ensinamentos e musicalidade

Por Angelina Miranda

Ao chegar no projeto é difícil distinguir quem é o professor ou quem o coordena. Vestido de forma simples, Alexandre ensina as principais técnicas de mixagem aos alunos atentos que de tão concentrados nem nos dão atenção.
Apreciador da música desde pequeno, fez desta arte uma forma de trabalho. Toca em festas há mais de quinze anos, além de consertar computadores, uma de suas outras funções. Analisa sua relação com a música como um instinto, desde pequeno olhava como os garotos maiores tocavam e assim foi aprendendo, sem saber que um dia aquilo se tornaria sua profissão. Segundo ele conhecer um pouco de tudo é fundamental, principalmente para quem trabalha na música, não se pode limitar a conhecer apenas um estilo musical.
Este paulista respira o projeto Periferia Ativa, que exige muito tempo e disposição. “Faço o meu trabalho porque gosto não é uma obrigação, de ter que bater cartão, nada disso posso até estar um pouco cansado, mas quando penso para onde vou tudo muda.”
Por ser uma pessoa sempre a se preocupar com os demais, acabou sendo nomeado para ser presidente da instituição.
Além disso, é criador do logotipo do Periferia Ativa, que muito têm a ver com os ideais e conceitos do projeto.
Acredita que o rap é mais do que um estilo musical, é uma filosofia de vida. “Se o garoto da periferia ouve as músicas de protestos cantadas pelos rappers, pode ver que aquela realidade é a sua também, e com certeza irá desenvolver uma consciência mais crítica.” Além de estar sempre ocupado correndo atrás de colaboradores, empresas e pessoas dispostas a ajudar, está sempre atento ao que as crianças estão aprendendo, mas aconselhando também, “Dia desses falei para um aluno do projeto, por você ter nascido na favela já será discriminado no mundo, se lamentar não resolve nada. Tem que levantar a cabeça, estudar e seguir em frente, para quem já nasce condicionado a ser tratado como marginal os caminhos serão sempre mais estreitos.” Comenta Alexandre.
Com seu filho não é diferente pai do Israel de 13 anos, repassa sempre os mesmos ensinamentos. Parece que o filho anda querendo puxar o pai, “ Recentemente ele ganhou um violino do Seu Jorge, e desde então não para de tocar. Quem sabe não é mais um à entrar na música”, afirma risonho o pai coruja.
Alexandre além de discotecar é integrante do grupo Negredo com os irmãos Tór e Ylsão, fazendo shows em vários lugares de São Paulo. Pouco tempo atrás foram se apresentar num presídio em Franco da Rocha, e ao chegar lá reconheceram alguns detentos, que estudaram junto com eles.” Mal podíamos acreditar, gente que tinha sumido estava lá preso.” Alexandre vê um outro lado para tantas pessoas entrarem no mundo da criminalidade, “Algumas vezes são pessoas que nem necessitam daquilo, mas começam a entrar nesse caminho para ter respeito, poder e reconhecimento perante a favela.” Por este motivo criaram o projeto, acreditam na possibilidade de destinar outros caminhos aos moradores da periferia, as dificuldades sempre aparecem mas com força e perseverança estão lutando para transformar a realidade da comunidade.


A família é de sangue, música e ação


As escadas dos becos e vielas recebem nossos passos firmes que caminham rumo ao destino daquela tarde. As casas todas muito próximas pareciam uma coisa só, não somente pela estética, mas também pela relação de intimidade entre os moradores. Alguns olhos tristes, desolados são iluminados pelos grafites feitos nas paredes das vielas. O contexto às vezes pode até ser preto e branco, mas o grafite colore um pouco a vida daquelas pessoas. Neste ambiente um garoto nos leva até o Periferia ativa, para conhecer o projeto e um de seus precursores, Ylsão 32 anos.Entre as crianças e adolescentes que estão em aula encontramos Ylsão, atento ao que está sendo ensinado na aula de informática. Dentre os alunos um se mostra comovido, Dener de 13 anos, não acreditava trocar a rua pelas aulas de informática. Com os olhos serenos, e o jeito tímido, tenta da melhor forma se expressar: “Tudo mudou desde que eu entrei aqui eles não dão só aula, para a gente. O tio Ylsão sempre ajuda, pergunta se estamos indo bem, nos esforçando…Ele é muito legal, tem atenção comigo como se fosse meu parente.”
Assim como Dener, o filho de Ylsão também aproveita as aulas, talvez futuramente Yuri de quatro anos possa fazer esse curso, mas hoje gosta mesmo das aulas de capoeira. Com tão pouca idade, já se mostra esforçado seguindo o ritmo da dança africana, imitando o mestre.
A família é de sangue, música e ação. Ele e seu irmão Tór além de serem do mesmo grupo de rap o Negredo, ainda são peças chaves no projeto. Ylsão desde criança apreciava o rap, musicalidade que representa a sua realidade, e de muitos outros que são esquecidos pela sociedade.
Notando a densidade das letras do rap, começou a estudar, e percebeu que o rap não é só ritmo e poesia, mas também conhecimento.
A comunidade, onde Ylsão mora não é a mesma de quando ele era criança. Naquela época não havia muita “irmandade” entre as pessoas elas não se comunicavam, era cada um no seu canto. Mesmo com as festas que havia a coletividade ainda não era presente. Hoje o retrato social destas pessoas mudou, a favela está movimentada graças ao projeto e conseqüentemente aos shows que acontecem anualmente, o 100% Favela, que já recebeu grandes nomes do rap nacional como o Gog , Realidade Cruel e Consciência Humana .
“Alguns me perguntam por que a maioria das pessoas que se apresentam são sempre do rap. Não tenho muito o que dizer, convidamos pessoas de outros estilos musicais, mas não aceitam vir. Cobram um valor muito alto para se apresentarem, ou então, somente o nome do evento já os assustam.” Mas graças a sensibilidade de alguns cantores, ultimamente as coisas estão mudando um pouco : “ Trouxemos em 2008 o Seu Jorge que foi um grande sucesso, muito bem acolhido, e agora temos a honra de trazer a Leci Brandão. Dessa forma misturamos o público como por exemplo, esse ano quem não gosta de rap, pode vir pelo samba.” Afirma Ylsão. O projeto demanda muito tempo de sua vida, mesmo assim segue conciliando entre a família e os amigos. Com seu jeito simples e perseverante, Ylsão vai conquistando as pessoas e seus objetivos, não se deixando abater pelas dificuldades.


A transformação através do Rap


Por Paula Farias

Na última sexta –feira (27), o Portal Rap Nacional foi até a favela Godói, no Capão Redondo, extremo sul de São Paulo, para conhecer o Projeto Periferia Ativa.Antes, passamos pela Loja do Negredo, onde são vendidos diversos produtos como: livros, roupas, DVDs, CDs, entre outros produtos com a cara da periferia. O comércio funciona em parceria com a marca 1da Sul e produtos das duas marcas são vendidos em ambas as lojas.
Para conhecer o Periferia Ativa entramos por umas vielas , subimos escadas, passamos por crianças e adultos. Em todo o caminho encontramos paredes cheias de vida, coloridas com belos grafites. feitos por Gel (Miragem), em parceria com outros artistas. Antes de entrarmos na sede da ONG é possível perceber a transformação que o projeto fez na comunidade ao seu redor.
Periferia Ativa é um projeto enraizado dentro do coração da favela Godói. No espaço mantido pelo grupo Negredo são oferecidas gratuitamente oficinas de D, webdesign, gravação e edição de vídeos, capoeira, black, informática e estúdio de gravação musical. As oficinas são destinadas as crianças e adolescentes, mas os pequenos também não ficam de fora e a criançada de dois a cinco anos pode participar da brinquedoteca. Na sede do Periferia Ativa há também a Biblioteca Êxodus que empresta livros para toda a comunidade.Existem na Internet vários vídeos divulgando o Projeto , mas nada se compara com a emoção de estar pessoalmente, vivendo aquele momento.
As salas onde são dadas as aulas têm as paredes grafitadas, além de bonitas são espaços acolhedores, onde estão várias crianças, em sua grande maioria, meninos com histórias muita parecidas. Afro-descendentes que carregam na pele as marcas do preconceito imposta por uma sociedade hipócrita que ainda não superou as sequelas de mais de 450 anos de escravidão, que até os dias de hoje tratam os negros como inferiores.
Mas essas crianças com chinelos nos pés, roupas simples, olhares atentos têm agora a oportunidade de mudar o seu destino. É justamente isto que elas fazem ali estão lutando pela sua transformação, pois só o conhecimento liberta.
Todas as crianças que participam do Periferia Ativa frequentam a escola, essa é uma exigência para fazer parte das oficinas, pois o projeto não substitui a escola, é um complemento de aprendizagem. O envolvimento das crianças nas atividades é impressionante, a sede pelo saber que os motiva faz com que todas as oficinas sejam cheias todos os dias.
Enquanto os pais vão para o trabalho em ônibus lotados, para ganhar apenas o necessário para a sobrevivência da família, seus filhos estão aprendendo atividades que talvez seus pais não conseguissem pagar.Mas o Periferia Ativa esta ajudando a mudar essa realidade, essas crianças que variam de dois a quinze anos , estão contrariando a lógica imposta pelo sistema, porque estão longe das ruas, da criminalidade, se libertando e lutando por um futuro melhor.Precisavam apenas de uma oportunidade de alguém que as olhasse com amor e não com desprezo, que as tratasse como seres humanos.
Essa oportunidade começou no ano 2000 quando foi realizado o primeiro show 100% favela, feito para arrecadar fundos para manter o Periferia Ativa que estava só começando. A partir de então o projeto se mantêm com fundos arrecadados no show anual e com a ajuda de empresas e comerciantes que ajudam de maneira independente.
O idealizador do projeto Nego Du uniu o Ylsão, Alexandre e Tó, todos integrantes do Negredo, e também Ferréz e Mano Brown, para transformarem o sonho em realidade. Infelizmente Nego Du faleceu em 2004 e não está mais aqui para ver o quanto o seu sonho cresceu.
Mas o Negredo, juntamente com Ferréz e Mano Brown que são padrinhos do projeto, continuam na luta diária ajudando a transformar a realidade da comunidade onde ambos se criaram.


As transformações ainda são possíveis

Tudo isso é realizado graças aos esforços que não são poucos. “Para nos mantermos, comprando os materiais necessários, temos a festa 100% Favela , e também criamos bazares, feijoadas, para arrecadar verbas, nos unimos todos. E a gente vai levando por que, o projeto não pode parar”, comenta Ylsão.
Ylsão define o que significa o Periferia Ativa em sua vida “É uma escola ,cada dia se aprende mais, é possível perceber que o dinheiro não tem valor, quantas vezes nós não temos dinheiro , mas já acordamos com outra auto estima porque temos algo para fazer. Aprendemos com as crianças , coisas novas a cada dia e muitas vezes com uma atenção a mais que você dada ás crianças é possível mudar a trajetória delas, através de uma palavra um incentivo isso aqui é uma lição de vida”
Alexandre, Dj do Negredo e diretor do projeto também vive o sonho de manter esse projeto. “Para mim isso é especial por que amo isso aqui, tudo que se faz com amor, cresce. Isso é um pouco do meu sonho,do Negredo , Nego Du, Ferréz e Brow., Hoje estamos ajudando essas crianças a crescerem nós temos um papel importante, servindo de exemplo para que outras pessoas também se mobilizem e façam projetos e ajudem suas comunidades”.
As horas passam rápido e chegamos ao fim do dia, mas não da luta. É difícil sair desse lugar e não se sentir melhor, depois de presenciar as transformações sociais sendo feitas por pessoas empenhadas, que dedicam suas vidas para fazerem o bem por seus semelhantes, esse é o trabalho do Periferia Ativa.
Muito bem simbolizado pelo logotipo do projeto. Uma mão que erguer algumas casas, significando a mão de Deus levantando a favela. Agora conhecendo melhor o projeto todos estão convidados, a se unirem conosco nessa luta, no dia 11 de setembro, sabadão, na Festa 100% Favela, ela é fundamental para ajudar o Periferia Ativa a se manter.
Essa festa terá um diferencial porque é a comemoração de uma década do projeto que vem sendo realizado, nesses anos todos. Cada criança que participa do Periferia Ativa é um índice a menos nas estatísticas de violência. Sendo assim o projeto dentre tantos outros que acontecem é uma esperança na construção de uma sociedade mais justa e igualitária.


Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 0 )


Sábado, 30 de Outubro - 18:30 horas
GRÁTIS

programação:

Paraíso sem nós dois Documentário 35 minutos

Vídeo realizado durante o curso de História e Fontes Visuais, ministrado pela Profa. Zilda Grícolo Iokoi, da USP tem como cenário o bairro de Vila Leopoldina, Sampa City, um ex-bairro operário que hoje ganha outras características.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=
Obsessão Ficção 5 minutos
Direção: Hélio Martins Jr.

Casal apaixonado passa por uma crise de ciúmes por parte do namorado e isso lhe trará danos irreversíveis. 
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=
Cineclubando Documentário 15 minutos
Direção: Diogo Gomes dos Santos

Relato emotivo sobre a rearticulação do movimento cineclubista brasileiro, desorganizado no final da década de 1990.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=
A Hora do Limão TV Documentário 10 minutos
Realização: Walter Limonada

Um programa de entretenimento, informação e cultura, que visa expor as mais variadas formas artísticas-culturais da região do grande ABCD e adjacentes.
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-= 
Lançamento da Revista do Coletivo de Vídeo Popular

Realizadores debatem suas produções.

Bate papo + Música

Local:
RUA AUGUSTA 1239, 1º. ANDAR, CONJUNTOS 13 E 14
(EM FRENTE AO BAR IBOTIRAMA)


Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 0 )

O Fórum MUDAR SÃO PAULO de Cultura e Educação se reunirá semana que vem para discutir uma proposta de carta de princípios e para encaminhar nossa luta em defesa do direito à cultura e a uma escola pública de qualidade em São Paulo - e quem sabe comemorar juntos os resultados das eleições de 3 de outubro.

QUANDO: Quarta feria próxima, dia 06/10/2010 - a partir das 19,30h
ONDE: CENTRO CINECLUBISTA DE SÃO PAULO
Rua Augusta 1239 - cjs. 13 de 14.
FONE DE CONTATO: 8243-4850

PROGRAMAÇÃO:

1. Exposição da Professora Fátima Cesarim sobre a situação precária da escola pública em São Paulo e debate.
2. Leitura de minuta de Carta de Princípios do FÓRUM.
3. Apresentação do SARAU CAIPIRA, do grupo Õ DE CASA.

Faço um pedido: Podem mobilizar amigos ligados à cultura e à educação para essa reunião? Nosso FÓRUM é um campo suprapartidário  de convergência de ideias, pessoas e movimentos democráticos voltados para a ação tranformadora nos campos da Cultura e da Educação de São Paulo. Propor e pressionar e agir por mudanças concretas é, por isso, nossa forma de participar.



Links para esta postagem

ler e escrever' Comentários ( 1 )

videos lunetim